Interfaces Urbanas

“Este artigo apresenta a sessão “Interfaces Urbanas”, que reúne tanto experiências de produção de representações quanto estudos de casos da incorporação das TICs e de seus impactos no meio urbano, ajudando a evidenciar o estado da arte da pesquisa nacional sobre o tema e facilitar a criação de redes de relações entre pesquisadores da área. Um dos objetivos da sessão é ajudar a registrar as inciativas sobre o tema, visto que muitas delas acabam tendo uma duração por demais efêmera em meio digital, tornando os relatos a respeito fundamentais para a construção de conhecimento nesse campo. Neste artigo, tratamos a proposição das interfaces urbanas de um ponto de vista crítico e teórico. A primeira parte do texto lida com a questão da interface digital e de sua expressão urbana. Na segunda parte, examina o papel das mídias locativas na criação de espaços de contato entre o mundo virtual e o mundo real, pela filtragem de informações baseada na posição geográfica do usuário: espaços híbridos (SOUZA E SILVA, 2006), territórios informacionais (LEMOS, 2008) e espaços aumentados (MANOVICH, 2007). Na parte final, comenta as questões de controle subjacentes à localização, reconhecendo seu papel na criação de espaços urbanos eficientes – e vigiados– simultaneamente às possibilidades de liberdade criativa intrínsecas ao aparelho – e sua programação
(FLUSSER, 2011).”


Link para o texto

Autores

Ano do texto: 2018

Citação ABNT

PARAIZO, R. C.; VILAS BOAS, N. . Interfaces urbanas. In: IV Enanparq, 2016, Porto Alegre. IV Enanparq – Estado da Arte. Porto Alegre: PROPAR / UFRGS, 2016. v. 1. p. 1-13.

Atualizado em 2020-08-17 05:27 por Marcela Aurélia Silva.

Pesquisas relacionadas

Trabalhos relacionados